Total de visualizações de página

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Dançar conforme a música e manter o sorriso é preciso...



-Ainda que nem sempre se possa escolher/ no dia a dia/
A música pra se dançar/ nem estabelecer/ tampouco/
Que tudo aconteça tal qual almejávamos/ ansiosos/
Ou prevíamos/ com muita esperança... Certamente/
É de muito bom augúrio pra nós/ valsarmos ao tom da Vida/
Sem perder o compasso que ela /às vezes / nos impõe/
- Não obstante isto nos amofine/ sobremaneira -
E /sobretudo / manter o sorriso largo/ haja o que houver/
Pois nosso rosto não é de pertença nossa/ mas sim/
De quem o observa a espera de algum incentivo
Para prossegui a jornada da Vida/ mais confiante e feliz...

-Certamente hão de me questionar /sem dúvida:
- Ora! Mas que estória é essa do nosso rosto não nos pertencer/ cara?
-E eu aí não hesitarei em perguntar a meus curiosos questionadores:
- Quem de nós /por acaso/lembra-se de como é o seu rosto após sair
Da frente de um espelho, hein?
E tenho dito!

RELMendes - 17/07/2017



segunda-feira, 10 de julho de 2017

Liberdade é minha doce sina



-Não me dou ao desfrute de ancorar-me/ em nenhum cais/ jamais/
Vez que sou/ jangada/ que muito apraz-se/ em velejar /mar adentro/ Rumo a águas profundas/ ao sopro das brisas/ e ao assoviar dos ventos/ Fortes/ que a impulsionam/ ao desconhecido/ que anela/ desbravar...

-Ave de arribação/ abomino quem/ faminto/ofusca-me/ à noite/
Pois sou apenas peregrino/ em migração/ rumo à procriação...

-Bacurau que sou/ primo na camuflagem/ pra impedir /a invasão/
Do meu sagrado/ que/ em mim/ preza/ sobremaneira/ a Vida/ nascida/
Em momentos/ plenos/ de total LIBERDADE.


RELMendes 01/06/2017

sábado, 8 de julho de 2017

Recomeçar sempre que necessário for


-O meu e o seu caminho/ no mais das vezes/
Não têm nada/ de muito diferente/ não:
- Buracos/ à beça! Pedregulhos/ às pampas! Trilhas / tortuosas!
- Espantos/ mil! Olhares/ de esguelha/ desaforadíssimos!
- Encontros/ tantos! Desencontros/ muitos/  etc & tal...
Ah! E tudo isso /papoca / constante e frequentemente/
Tanto em mim/ quanto em você/ o que me faz/
Reafirmar que/ simplesmente/ sem dúvida/ alguma:
- O meu e o seu caminho/ nada têm/ de muito diferente/ não!

-Portanto/ unamo-nos/não nos permitamos/ nos amofinar/
Ou nos apoquentar /com o corriqueiro diário/ jamais/
Ponhamos/ então/as mãos/ no arado da Vida/
E tratemos de dar início/ logo/ à lida/ de cada dia/
Que nada mais é/ que recomeçar/ sempre/
Não obstante/ as incontáveis aporrinhações/
Que permeiam/ quer queiramos/ ou não/
O nosso cotidiano/ por demais/ surpreendente/
E ao mesmo tempo/ tão enganosamente/ igual/
Vez que não nos atentamos/ às suas /sutis/ nuances.

-Pois a Vida prossegue/ sem parar/ jamais/
E quem está vivo/ precisa ter ânimo/ e coragem/
Suficientes/ pra recomeçar/ novamente/ a cada instante/
Se necessário for/ mas sempre/ sem perder/ em momento algum/
A esperança/ que nos impulsiona/ tanto / e sempre/
 A nos reconstruir / constantemente...a todo momento!

RELMendes 08/07/2017




quinta-feira, 6 de julho de 2017

TRISTEZA PRECISA TER PRAZO DE VALIDADE


-Quem se prostra à tristeza /por tempo indeterminado/
Perde o trenzinho da Alegria. Trenzinho esse/ que só deslancha/
sob os trilhos/ do nosso coração/ rumo a Felicidade/
se o nosso coração/ estiver/ contente.

E a Felicidade / nada mais é/que uma colchinha/ de momentinhos/ preciosos. Porquanto/ inesquecíveis. Mas que são/ tão rápidos!
Esses momentinhos/ felizes /sempre nos surpreendem/ inesperadamente!
Mas também/ de repente/ esvaem-se/
sem nos dar/a menor satisfação.

-Ora! Pois/não raro/ eles nos encontram/ sempre a nos balangar/
de há tempos/ nos braços da tristeza / que a tantos tem matado/
ao cabo dessa vida/ afora.
E Felicidade sempre foge da tristeza... Viu?!

Portanto /não permitamos/ jamais/ que tristeza se hospede/ em nós/
por tempo / indeterminado/ Tá?!
Porque/ela/ a tristeza/ essa chichelenta/
é uma péssima /Inquilina/  Viu?

RELMendes 01/ 07/2017


A mãe Natureza é fonte de inspiração aos artistas



A “Natureza” / quando retratada/ na tela de um / virtuoso/ pintor/
Ainda que/ por morta/ seja denominada/ ou conhecida/
É demasiadamente... Linda! Estonteantemente/ Bela!

E por conta/ de tanto encantamento/ sugiro-lhe:
Contemplai /mas/ contemplai/mesmo/ sempre atento/ sem pressa
A obra/ ou pintura/ de um virtuoso/ artista/ plástico/
Pois / dela/ derrama-se/ generosamente/ o Belo/
Sempre disposto/ a fugir /do seu escondimento/
Para nos espantar / sem avareza/ de encantamentos!

Agora/ de mãos dadas/ com essas pistas/ elucidadoras/
Deixai /os olhos degustarem/ ávidos/ o Belo/ exposto/
E saboreai / famintos/ as frutas/ os legumes/ e tudo mais/
Que uma pintura/ / inspirada / em belezuras da Natureza/ viva/
 Possa / generosamente/ ofertar-nos de Belo/ do jeito/ único/
De expressá-lo/ no que diz respeito/ ao talento/ de seu / virtuoso/ Pintor!

Por fim/ inebriado de encantamentos/
Daí / graças à Vida/ e à Natureza/
Que / sem avareza/ a toda sorte de Artistas/
Generosas/ sempre / os inspiram/ constantemente!

RELMendes 30/05/2017


quarta-feira, 5 de julho de 2017

Busquemos sempre as coisas do Alto


-Se é pra se caminhar/hoje/ nesse lindo/amanhecer/
Que caminhemos / por entre girassóis/ dourados/
E como eles/ busquemos sempre a luz...

-Se é pra se voar / nesse agora/ do alvorecer/
Que voemos/ aos bandos/ como as andorinhas/
E como elas / brinquemos / a trinar/sempre/
Lá pelas bandas/ do mais alto/ dos céus azuis...

-Se é pra se inebriar/ após o crepúsculo/ se recolher/
Que inebremo-nos/ à exaustão / a contemplar / por horas/
O céu/em breu/ a pontilhar-se/ de estrelinhas / lampejantes/
E como essas estrelinhas/ que lampejemos/ de esperança/
O céu / de nossas vidas/ por vezes/ totalmente/ em breu/
Mas que anela sempre/ enfeitar-se / de luminosa/ esperança/
Que sinalizará/ trilhas/ que nos conduzirão/ à luz...

-Se é pra se orvalhar/ nas madrugadas/ friorentas/
Que nos orvalhemos/ de generosidade/ como quem/
Pelas madrugadas/ vai ao encontro/ de quem carece/de tudo:
Alimento/ Agasalho e/ sobretudo / de Acalanto/ de alguém/
Para que/ esse carente/ possa se lembrar/ de que/
A pesar de todos os pesares/ ele/ ainda é um ser/ humano...

-Pois creio/ piamente/ que quem socorre/ aos necessitados/
Quer durante o a luz do dia/ quer na calada da noite/ fria/
Já caminha/ a paços largos/ pelas estradas/ dessa VIDA/
Totalmente/ orvalhado/ da  Luz Celestial/ enfim!

Então/ orvalhemo-nos/ dessa generosidade/ pra sermos/ iluminados/
Também/por essa Luz/ que não se apaga/ Jamais!

RELMendes 05/07/2017


sexta-feira, 30 de junho de 2017

POR QUE O CREPÚSCULO BOCEJA AO FINAL TARDE?


-No rola-rola da vida /que sempre segue/ em frente/
Todos os dias/ na mesma/ hora/ do anoitecer/
O crepúsculo começa / a bocejar/ em despedidas/
Porque ele sabe que /dora em diante/ é hora e vez/ da noite
Reinar / soberana e/ inenarravelmente/ belíssima...

-E /pouco a pouco/ sem fiasco /ela/ a belíssima noite
Derrama-se/ garbosa/ e soberba/ horizontes afora/
Espalhando um breu/ salpicado de estrelinhas/ lampejantes/
E a enxovalhar/também/ os céus / em breu/ de um clarão
De luar/ prateado/ que faz-nos delirar /de encantamentos mil.


RELMendes 28/06/2017