Total de visualizações de página

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Quando a felicidade se debruça sobre nós


Hoje o dia correu nas estradas da alegria
Uns saiam outros chegavam /sorridentes/
Meu coração se arrefecia /de alhures/
E de agora’s / plantados lá no pretérito/
Eu aqui /velho-menino/ travesso/ às pampas/
Transbordei-me/ de júbilos/ o dia inteiro.

Relmendes  15/08/2017


Melindres Jamais


Quem se deixa conduzir por seus melindres/
Certamente não saberá degustar/ jamais/
As delícias /das surpresas de Deus /
Que /no mais das vezes/ se encontram/
Por detrás das coisinhas/ mais simples/
Que tanto enfeitam o jardim da vida!

Relmendes 15/08/ 2017

Minha revelação de hoje


Só almejo / nesse exato agora/
- De todo o meu coração/mesmo/ -
Que o hálito /da brisa de DEUS/ sopre/
Sem cessar/ sempre/ nas velas
Do barquinho de minha vida
Pra que ele não se desvie/ jamais/
Da rota do Amor/ da Serenidade
E /sobretudo da Paz!


Relmendes 15/07/2017

sábado, 12 de agosto de 2017

Parabéns aos Papais!


-PAI é um ser/ às vezes/ muito silente/
Mas quando se achega/ sempre faz cócegas/
No coração da gente!

-Para  isto ocorrer/ basta/ tão-somente/
Que o permitamos ser/ tal qual ele o é/ verdadeiramente:
- Carinhoso/ Afetuoso/ Manhoso/ ou Turrão até!
Ou mesmo ainda/ dar-lhe/ apenas/
A chancezinha de demonstrar/
Que ele/ nosso pai/ não é o bicho /papão/
Como o costumam pintar/ ou alardear/por aí afora/
- Sobretudo/ no ambiente familiar/ cheio de tretas! -
E o quão ele/ nosso pai/ que devia ser muito amado/
Nos ama muito e/ incondicionalmente/ deveras!

-Portanto/ filhos e filhas/ ficai muito atentos/
Pois a maioria absoluta / dos pais/ é boa / sim/
As exceções só confirmam essa regra /apenas/
Amai então/ vosso pai/ enquanto é tempo/
Porque saudades /depois de sua partida/
Em nada aliviará o vosso vão lamento/ viu?!

RELMendes 11/08/2017


A propósito da presença do Pai


-PAI / logo ao nascermos/por uns instantes/
Você nos é um simples desconhecido/tão-somente/
Ah! Mas depois do seu primeiro olhar/terno/pra nós/
Do seu primeiro afago/ gostoso/em nós/
- Por vezes às escondidas –
Do seu primeiro suspiro paternal/ profundo/ a nossos ouvidos/
De felicidade / plena/ a transbordar-se de contentamento/
- Simplesmente por causa de nós termos nascido/ enfim -
Não há/ portanto/ como se negar / de jeito algum/ sequer/
Que por detrás do tal bicho papão/ assustador/
Há/ sobretudo/ para nós seus filhos/ um ser humano/ impar/
- Quiçá/ um herói desconhecido/ para os outros/ não pra nós -
Capaz de nos amar sem limites/ de nos acolher em quaisquer
 Circunstâncias/ sejam elas qual forerem/ pouco lhe importa/
De caminhar conosco/ em qualquer situação que for/
De dar sua própria vida por nós/ sem hesitar/ de forma alguma/
E/ também/ de dizer-nos /não/ quando preciso for/sem titubear/
- Ainda que isto lhe parta/ profundamente/ o coração paterno -
Para que nós/ seus filhos e filhas/ sobrevivamos
A quaisquer percalços que /por desventura/ou ventura/
Aflijam-nos ou alegrem-nos/ sobremaneira/ pelo percurso /
Curto ou longo /de nossas vidas tão polvilhadas/
 Por toda sorte de incontáveis/ surpresas!...

-PAI / sou grato a Deus/ por me ter dado/ a você/ como seu filho.Viu?
Pois apesar de nossos muitos entreveros/ tivemos a oportunidade/impar/
De trocarmos abraços/ acochados/ beijos faciais/ ternos/ e era tão
Bom poder dizer/ aos outros/ - sendo eu já quase idoso -
 Só para enchê-los de inveja:
- Gente... Hoje tô indo passar uns dias com papai!

-PAI/ não obstante eu ter tido de comer aqueles benditos bolos/ Luís XV
  - que você/ tão carinhosamente/ sempre os fazia para mim -  assim que eu chegava em sua casa... Só porque / ingenuamente/ você pensava que eu os achava /deliciosos/... Meu Deus/ que sufoco!
Mesmo assim/ valeu muito a pena/ eu ser seu filho!!  
Viu/ meu velho / amado? Obrigado por tudo/ meu Pai!

RELMendes 13/ 08/2017


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Quem quer “Amor”/ pois que compartilhe o seu/ antes!



Como não quero ser um avarento/ ranzinza/ no que diz respeito a
compartilhar  o “Amor” que/ em mim/ pulula /abundantemente /  
Hei de compartilhar o meu/por aí afora/ sempre/ sem economias/
E sem /tampouco/ nenhum nhen/ nhen/ nhen/ sequer!
O “AMOR” – segundo OSHO – não é uma propriedade
a ser guardada. Quanto mais você dá/ Amor/ mais você tem.
Nisto concordo plenamente com ele.

-Ora! Então não hesitarei em amar/desembestadamente/ Jamais! 
Porque / declaradamente/ careço de ser uma /borbulhante/
fonte de “AMOR” /ambulante/ sempre.

Ah! E tenho dito isto a mim/ constantemente/ a cada instante/
Enquanto a Vida// em mim/ generosamente/ ainda suspira!

RELMendes 23/07/2017


Bom mesmo é ser criança pra sempre

Quando eu era criança
Eu brincava como criança!

Mas o melhor/ mesmo/
É que antiguei-me/ por inteiro/
E continuo a brincar/ como criança!

Ah! Cá com meus botões/
Acho que terei /porque quero/
Um coração de criança/pra sempre!

Relmendes 07/08/2017