Total de visualizações de página

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Quando a felicidade se debruça sobre nós


Hoje o dia correu nas estradas da alegria
Uns saiam outros chegavam /sorridentes/
Meu coração se arrefecia /de alhures/
E de agora’s / plantados lá no pretérito/
Eu aqui /velho-menino/ travesso/ às pampas/
Transbordei-me/ de júbilos/ o dia inteiro.

Relmendes  15/08/2017


Melindres Jamais


Quem se deixa conduzir por seus melindres/
Certamente não saberá degustar/ jamais/
As delícias /das surpresas de Deus /
Que /no mais das vezes/ se encontram/
Por detrás das coisinhas/ mais simples/
Que tanto enfeitam o jardim da vida!

Relmendes 15/08/ 2017

Minha revelação de hoje


Só almejo / nesse exato agora/
- De todo o meu coração/mesmo/ -
Que o hálito /da brisa de DEUS/ sopre/
Sem cessar/ sempre/ nas velas
Do barquinho de minha vida
Pra que ele não se desvie/ jamais/
Da rota do Amor/ da Serenidade
E /sobretudo da Paz!


Relmendes 15/07/2017

sábado, 12 de agosto de 2017

Parabéns aos Papais!


-PAI é um ser/ às vezes/ muito silente/
Mas quando se achega/ sempre faz cócegas/
No coração da gente!

-Para  isto ocorrer/ basta/ tão-somente/
Que o permitamos ser/ tal qual ele o é/ verdadeiramente:
- Carinhoso/ Afetuoso/ Manhoso/ ou Turrão até!
Ou mesmo ainda/ dar-lhe/ apenas/
A chancezinha de demonstrar/
Que ele/ nosso pai/ não é o bicho /papão/
Como o costumam pintar/ ou alardear/por aí afora/
- Sobretudo/ no ambiente familiar/ cheio de tretas! -
E o quão ele/ nosso pai/ que devia ser muito amado/
Nos ama muito e/ incondicionalmente/ deveras!

-Portanto/ filhos e filhas/ ficai muito atentos/
Pois a maioria absoluta / dos pais/ é boa / sim/
As exceções só confirmam essa regra /apenas/
Amai então/ vosso pai/ enquanto é tempo/
Porque saudades /depois de sua partida/
Em nada aliviará o vosso vão lamento/ viu?!

RELMendes 11/08/2017


A propósito da presença do Pai


-PAI / logo ao nascermos/por uns instantes/
Você nos é um simples desconhecido/tão-somente/
Ah! Mas depois do seu primeiro olhar/terno/pra nós/
Do seu primeiro afago/ gostoso/em nós/
- Por vezes às escondidas –
Do seu primeiro suspiro paternal/ profundo/ a nossos ouvidos/
De felicidade / plena/ a transbordar-se de contentamento/
- Simplesmente por causa de nós termos nascido/ enfim -
Não há/ portanto/ como se negar / de jeito algum/ sequer/
Que por detrás do tal bicho papão/ assustador/
Há/ sobretudo/ para nós seus filhos/ um ser humano/ impar/
- Quiçá/ um herói desconhecido/ para os outros/ não pra nós -
Capaz de nos amar sem limites/ de nos acolher em quaisquer
 Circunstâncias/ sejam elas qual forerem/ pouco lhe importa/
De caminhar conosco/ em qualquer situação que for/
De dar sua própria vida por nós/ sem hesitar/ de forma alguma/
E/ também/ de dizer-nos /não/ quando preciso for/sem titubear/
- Ainda que isto lhe parta/ profundamente/ o coração paterno -
Para que nós/ seus filhos e filhas/ sobrevivamos
A quaisquer percalços que /por desventura/ou ventura/
Aflijam-nos ou alegrem-nos/ sobremaneira/ pelo percurso /
Curto ou longo /de nossas vidas tão polvilhadas/
 Por toda sorte de incontáveis/ surpresas!...

-PAI / sou grato a Deus/ por me ter dado/ a você/ como seu filho.Viu?
Pois apesar de nossos muitos entreveros/ tivemos a oportunidade/impar/
De trocarmos abraços/ acochados/ beijos faciais/ ternos/ e era tão
Bom poder dizer/ aos outros/ - sendo eu já quase idoso -
 Só para enchê-los de inveja:
- Gente... Hoje tô indo passar uns dias com papai!

-PAI/ não obstante eu ter tido de comer aqueles benditos bolos/ Luís XV
  - que você/ tão carinhosamente/ sempre os fazia para mim -  assim que eu chegava em sua casa... Só porque / ingenuamente/ você pensava que eu os achava /deliciosos/... Meu Deus/ que sufoco!
Mesmo assim/ valeu muito a pena/ eu ser seu filho!!  
Viu/ meu velho / amado? Obrigado por tudo/ meu Pai!

RELMendes 13/ 08/2017


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Quem quer “Amor”/ pois que compartilhe o seu/ antes!



Como não quero ser um avarento/ ranzinza/ no que diz respeito a
compartilhar  o “Amor” que/ em mim/ pulula /abundantemente /  
Hei de compartilhar o meu/por aí afora/ sempre/ sem economias/
E sem /tampouco/ nenhum nhen/ nhen/ nhen/ sequer!
O “AMOR” – segundo OSHO – não é uma propriedade
a ser guardada. Quanto mais você dá/ Amor/ mais você tem.
Nisto concordo plenamente com ele.

-Ora! Então não hesitarei em amar/desembestadamente/ Jamais! 
Porque / declaradamente/ careço de ser uma /borbulhante/
fonte de “AMOR” /ambulante/ sempre.

Ah! E tenho dito isto a mim/ constantemente/ a cada instante/
Enquanto a Vida// em mim/ generosamente/ ainda suspira!

RELMendes 23/07/2017


Bom mesmo é ser criança pra sempre

Quando eu era criança
Eu brincava como criança!

Mas o melhor/ mesmo/
É que antiguei-me/ por inteiro/
E continuo a brincar/ como criança!

Ah! Cá com meus botões/
Acho que terei /porque quero/
Um coração de criança/pra sempre!

Relmendes 07/08/2017



Às vezes o Amor bate asas e voa


Quando amor bate asas e vai-se embora/
É porque ele não quer mais morar na gente.
Então o melhor é deixá-lo alçar vôo /
Sem constrangimento...

Pois quem sabe não seja hora de outro Amor
Vir aconchegar-se/ na gente/ com aquele ar
De quem veio pra ficar/ bastante/ tempo?

Relmendes  07/08/2017

sábado, 5 de agosto de 2017

Ah quem dera fosse eu um passarinho!



Se deveras fosse eu um passarinho/
Não hesitaria/ jamais/ em pousar/
Logo ao despontar da aurora/
Bem pertinho de tua janela/
Só pra te amanhecer ao som
Do meu gorjeio/ apaixonado/
Ah quem dera! Ah quem dera!


RELMendes 30/07/2017

O Amor tem sua Realeza


A realeza do Amor repousa/sempre/
Na disposição dos amantes
De se darem/ um ao outro/
A cada dia de suas vidas/
Apesar de todos os pesares/
Por uma vida / inteirinha/
Ou seja. Enquanto se espichar
O caminho/ a ser/ pelos dois /
Totalmente/ percorrido/ viu?!!

RELMendes 30/07/2017

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Uma comidinha feita em casa É outra coisa/ né não?!


-Quando a pança da gente ronca/ de fome/
Maior felicidade não há/ nesse mundão/
Do que se chegar/ em casa/ e papá
Um arrozinho / bem soltinho/
Com um franginho/ bem temperadinho/
E um feijãozinho/ bem amassadinho/
E umas rodelinhas de tomate/ vermelhinho/
Pra enfeitar o pratinho da comidinha
Que a gente /mesmo/ preparou/ sô!
Ah meu Deus/ isso é tudo de bão/
Pra quem sabe ser grato à vida que tem!


RELMendes 29/07/2017

O Amor é um bumerangue


Se queres Amor/ coragem/
Não sejas avarento... Jamais!
Antecipe-se em ofertar/ o teu Amor/
E verás que ele/ uma vez semeado/
Desabrochará ao teu derredor/ e afora/
E o aroma dele /exalado/ envolverá
A quem carece de Amor/ também!

RELMendes  29/07/2017



quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Resquícios


-Hoje/ o Amor perambulou
Por aí afora... Comigo!
O aroma do seu perfume/
Posso eu aspira-lo/
Ainda... Agora!

-E porquanto/ quiçá/
Minh’alma / risonha:
- Ora bordada de alegrias/
- Ora apenas de sonhos/
Por aqui... Inebriada
De contentamento/
Transborda-se em
Ah quem dera’s...
Ao vislumbrar
Seus resquícios...
Ainda... Agora!

RELMendes 23/11/2016

ALINHAR-SE É PRECISO


Mas alinhar /com o quê/
Face a tantas sugestões/ mirabolantes/
Que nos são ofertadas /de bandeja/
Nesse nosso mundo /estrambelhado?

Ora! Alinhar-se às idéias de justiça/ exemplo:
- Dar a cada um aquilo que é seu...
E dá-lo com equidade/ no caso concreto!
-Perambular /só se for pelos caminhos já
Percorridos pelos Iluminados/
- Quer homens ou mulheres/ portadores/
De uma clareza de idéias /invejável -
Que nos precederam /a pés em chão/
Por esse percurso que hora trilhamos/
-Enxergar o mundo tão-somente/ em azul/
- Como o vêem os olhos daqueles que sabem
Amar por amar/ sem segundas intenções... -
Ainda que se seja visto como visionário/ ingênuo/
-Alinhar-se/ por fim/ à sua estatura
De ser humano  em elaboração/ e não/ pronto!

Isto já é um bom começo/ me parece/ pra quem deseja/
Verdadeiramente... Ser gente!
Se não der certo/ ah/ não chore rios de lágrimas...
Simplesmente/ tente outra vez/ e pronto!
E tenho o dito! Ah só por enquanto... Tá?!

RELMendes 05/03/2017


terça-feira, 1 de agosto de 2017

Estultices de um Cordeleiro


-Há! Quando eu crescer... Podes crer:
Vou criar asas /de Passarinho/
E voar... Voar / pelo mundo/ afora/
Mesmo até/ ao incendiar-se o Crepúsculo/
Ou ainda.  Ao achegar-se / a Noite vadia/
Mas/ sobretudo/ voarei /inconsequentemente/
 Ao acordar-se/ esplendoroso// o Dia!

-Há! Quando eu crescer... Podes crer:
Vou voar... Voar sozinho/ ou aos Pares/
Ou mesmo/ quiçá/ aos bandos//
A versejar melodiosos/ Poemas/
Que/ por si só / solfejarão... Poesias!

-Há! Poesias/ em todos os Tons Musicais:
- Dó... Ré... Mí... / Fale-me /por favor/
- Si...ou melhor/  se isto é viável /
- Ou se é /tão-somente / Poetices/
De um / estabanado /Cordeleiro
A rascunhar suas /palatáveis/
Estultices Poetosas/  hein?


RELMendes 20/01/2017

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Se eu quisesse falar/ eu diria


Enquanto a borrascosa ira política impregna o universo virtual do FACE/
- Prossigo tecendo versinhos singelos/ tolos até!
- Finjo-me de “IDIOTES” /na verdadeira acepção do termo grego / - aquele que não está nem aí pra política / como se fora eu um alienado/ total/ um abestalhado /complemente desinformado – mas só finjo/ viu?
- Faço o teatro da Vida acontecer/ sem economias/ etc & tal
-Sabe por que ajo/ assim?
Simplesmente/ e tão-somente/
A fim de safar-me das informações /controversas ou contraditórias/ dadas /repetitivamente/por vorazes “abostalhadores” do acesso de todos/ aos benditos “direitos humanos”.
Esses abostalhadores  não hesitam/ jamais/ em confundir as mentes parvas/ dos coitados analfabetos políticos.  Aterrorizando-os sempre/ sem pena nem dó/ com suas esdrúxulas teorias neoliberais que/ em si mesmas/ só permitem/através de suas proposições/ insanas/ que  usufruam de tais direitos/ aos bem nascidos.
Pronto/ disse!

Fora Temer!

RELMendes 28/07/2017

Ninguém morre de amor



Se de amor ninguém morre/
Então/ não percamos tempo/
Vamos amar/ sem economias/
E deixa a jiripoca / piá!

RELMendes 31/07/2017


Anjinho xavequeiro



Não sei se é bom / ou ruim/
Ir-se lá pras bandas do céu/
Mas quando por lá/um dia/
Eu chegar/ ressabiadíssimo/
Certamente/ logo tentarei xavecar/
Coisinhas bem salientes/ até demais/
Ao pé do ouvido da anjinha
 Mais lindinha/ com quem/
De imediato/ eu me encontrar!


RELMendes 31/07/2017

Indecisão se cura com sabedoria


Quem não sabe se vai /ou se fica/
O melhor /mesmo/ é empacar/
Onde se encontra/ por instantes/
- Que nem faz jegue brabo/ assustado/ -
Até a borrasca da indecisão se amainar/
E depois/ Ah/ depois é só fixar bem /os olhos d’alma/
No horizonte/ sem fim/ do seu por dentro/
E a pés em chão/ sem pestanejar/ sequer/
Pôr-se a correr / Desembestadamente/
Atrás da felicidade que /certamente/ o aguarda/
 Em algum lugar/ de seu universo interior/ atribulado/
E quem sabe até/ ela/ a felicidade/ não esteja
Bem aí/ a seu lado/ hein?

RELMendes 30/07/2017




quinta-feira, 27 de julho de 2017

A felicidade simplesmente mora em nós mesmos


Quem se entrega/ ávido/ ao consumismo/pra se pavonear/
Em busca de uma esdrúxula satisfação/ imediata/
Por decerto/ desviou-se /totalmente/ do caminho
Da tão almejada felicidade / verdadeira/
Vez que esta não está embutida nas coisas/
Que/ por ventura/ se possa ter ou adquirir/
Mas sim naquilo que na verdade se é/ em si mesmo/
Já que a felicidade se tece/ a si mesma/
Dentro de nós/ independentemente/
De nossas fugazes aparências / tão banais/
Esse é o segredo!!

RELMendes 26/07 /2017



Quem desrespeita /os outros/ não terá um coração lindo/ jamais!


-Minha descrença/ na crença dos outros/
Não me habilita/ em hipótese alguma/ para
Desrespeitar a quem que seja/ por suas
Convicções religiosas ou outras quaisquer/
Ainda que essas divirjam/ totalmente/ das minhas/
Ou não coadunem/ em nada/ com meus pensares/
Nem tampouco com meu jeito de ser e de viver.

-Ah!  Para se viver bem / penso eu cá comigo/
Precisa-se respeitar /as diferenças que permeiam/
Quer se queira ou não/ o cotidiano de todos nós.
Pois elas/ as diferenças de cada um/ sempre tecem
Os belos desenhos do incrível caleidoscópio da Vida... Ora!!

-Portanto/definitivamente/ quem desrespeita/ os outros/
Não é uma pessoa chique/ nem tampouco tem /ou terá
Um coração lindo... Jamais!

RELMendes 26/06/2017


terça-feira, 25 de julho de 2017

Não me atenho a Pretéritos


-Óh brisas / insistentes/ das lembranças
Leva!  Leva depressa/ daqui/
De cá de dentro de mim
Qualquer sonho de Amor
Que não vivi /plenamente/ Outrora!
Pois eles para mim jazem 
Complemente... Em algum lugar/
Que nem eu sei bem onde! 
Mesmo porque daqueles sonhos
De Amor do pretérito, por decerto,
Já não mais me lembro /mesmo/
De nenhum sequer!

-´Qh! Fluam logo outros sonhos Ora!
Pois cá à toa estou eu /agora/ a esperá-los!
Senão ventos violentos vindos
De alhures// ou mesmo daqui/ 
Sussurrar-me-ão...novamente,
Amores breus... Escusos... Cênicos!
E estes não os quero, no momento.

-Terei eu sim outros devaneios 
E bem os quero/ por demais/
Em neon lilás /doravante!...
Os em breus /entretanto/ se os tive,
Sepultaram-se lá no Pretérito.
Despertá-los / às essas alturas/
Seria lambuzar-se /novamente/
De incontáveis desencantos
Totalmente inconcebíveis, 
Neste agora...

-Porquanto urge –me/ neste então/ caminheiro/ ligeiro/
Outros Sonhos/ muito mais lindos/ enfim. 

RELMendes 27/04/2017


domingo, 23 de julho de 2017

Amigo é um trem bão demais da conta sô!


-Amigo/ de repente/ aparece
-Amigo / também/ se cativa com o tempo
-Amigo/ nem sempre o temos/ ao lado
-Amigo é feito passarinho/ na hora H:
- Aparece! - Acalanta-nos a alma/ com ternura/
- Diz-nos umas verdades/ nas fuças/
- Puxa-nos as orelhas/ sem medo/ algum/
- Desaparece/ chateado/ por tempo indeterminado:
- Deixando-nos/ saudosíssimos!

-Mas depois/ um dia qualquer/ inesperadamente/
Reaparece com a maior cara de pau/ lambida/
Abraça-nos /apertado/ e fala-nos/ em alto e bom som:
- Ah/ mas eu gosto docê/ viu amigo?!

RELMendes - 20/07/2017


À noite meus olhos vagueiam sempre



-Da janela frontal da varanda/
Meus olhos vagueiam /ao infinito/
Não sei bem eu em busca de quê/
Nem o porquê / tampouco/ eu sei!

-Quiçá/eles estejam por lá/ à espreita/
Só pra contemplarem/ tão-somente/
As estrelinhas a brincar/ de pega/ pega/
Na escuridão da noite em breu/ e nada mais!


RELMendes 22/02/2017

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Dançar conforme a música e manter o sorriso é preciso...



-Ainda que nem sempre se possa escolher/ no dia a dia/
A música pra se dançar/ nem estabelecer/ tampouco/
Que tudo aconteça tal qual almejávamos/ ansiosos/
Ou prevíamos/ com muita esperança... Certamente/
É de muito bom augúrio pra nós/ valsarmos ao tom da Vida/
Sem perder o compasso que ela /às vezes / nos impõe/
- Não obstante isto nos amofine/ sobremaneira -
E /sobretudo / manter o sorriso largo/ haja o que houver/
Pois nosso rosto não é de pertença nossa/ mas sim/
De quem o observa a espera de algum incentivo
Para prossegui a jornada da Vida/ mais confiante e feliz...

-Certamente hão de me questionar /sem dúvida:
- Ora! Mas que estória é essa do nosso rosto não nos pertencer/ cara?
-E eu aí não hesitarei em perguntar a meus curiosos questionadores:
- Quem de nós /por acaso/lembra-se de como é o seu rosto após sair
Da frente de um espelho, hein?
E tenho dito!

RELMendes - 17/07/2017



segunda-feira, 10 de julho de 2017

Liberdade é minha doce sina



-Não me dou ao desfrute de ancorar-me/ em nenhum cais/ jamais/
Vez que sou/ jangada/ que muito apraz-se/ em velejar /mar adentro/ Rumo a águas profundas/ ao sopro das brisas/ e ao assoviar dos ventos/ Fortes/ que a impulsionam/ ao desconhecido/ que anela/ desbravar...

-Ave de arribação/ abomino quem/ faminto/ofusca-me/ à noite/
Pois sou apenas peregrino/ em migração/ rumo à procriação...

-Bacurau que sou/ primo na camuflagem/ pra impedir /a invasão/
Do meu sagrado/ que/ em mim/ preza/ sobremaneira/ a Vida/ nascida/
Em momentos/ plenos/ de total LIBERDADE.


RELMendes 01/06/2017

sábado, 8 de julho de 2017

Recomeçar sempre que necessário for


-O meu e o seu caminho/ no mais das vezes/
Não têm nada/ de muito diferente/ não:
- Buracos/ à beça! Pedregulhos/ às pampas! Trilhas / tortuosas!
- Espantos/ mil! Olhares/ de esguelha/ desaforadíssimos!
- Encontros/ tantos! Desencontros/ muitos/  etc & tal...
Ah! E tudo isso /papoca / constante e frequentemente/
Tanto em mim/ quanto em você/ o que me faz/
Reafirmar que/ simplesmente/ sem dúvida/ alguma:
- O meu e o seu caminho/ nada têm/ de muito diferente/ não!

-Portanto/ unamo-nos/não nos permitamos/ nos amofinar/
Ou nos apoquentar /com o corriqueiro diário/ jamais/
Ponhamos/ então/as mãos/ no arado da Vida/
E tratemos de dar início/ logo/ à lida/ de cada dia/
Que nada mais é/ que recomeçar/ sempre/
Não obstante/ as incontáveis aporrinhações/
Que permeiam/ quer queiramos/ ou não/
O nosso cotidiano/ por demais/ surpreendente/
E ao mesmo tempo/ tão enganosamente/ igual/
Vez que não nos atentamos/ às suas /sutis/ nuances.

-Pois a Vida prossegue/ sem parar/ jamais/
E quem está vivo/ precisa ter ânimo/ e coragem/
Suficientes/ pra recomeçar/ novamente/ a cada instante/
Se necessário for/ mas sempre/ sem perder/ em momento algum/
A esperança/ que nos impulsiona/ tanto / e sempre/
 A nos reconstruir / constantemente...a todo momento!

RELMendes 08/07/2017




quinta-feira, 6 de julho de 2017

TRISTEZA PRECISA TER PRAZO DE VALIDADE


-Quem se prostra à tristeza /por tempo indeterminado/
Perde o trenzinho da Alegria. Trenzinho esse/ que só deslancha/
sob os trilhos/ do nosso coração/ rumo a Felicidade/
se o nosso coração/ estiver/ contente.

E a Felicidade / nada mais é/que uma colchinha/ de momentinhos/ preciosos. Porquanto/ inesquecíveis. Mas que são/ tão rápidos!
Esses momentinhos/ felizes /sempre nos surpreendem/ inesperadamente!
Mas também/ de repente/ esvaem-se/
sem nos dar/a menor satisfação.

-Ora! Pois/não raro/ eles nos encontram/ sempre a nos balangar/
de há tempos/ nos braços da tristeza / que a tantos tem matado/
ao cabo dessa vida/ afora.
E Felicidade sempre foge da tristeza... Viu?!

Portanto /não permitamos/ jamais/ que tristeza se hospede/ em nós/
por tempo / indeterminado/ Tá?!
Porque/ela/ a tristeza/ essa chichelenta/
é uma péssima /Inquilina/  Viu?

RELMendes 01/ 07/2017


A mãe Natureza é fonte de inspiração aos artistas



A “Natureza” / quando retratada/ na tela de um / virtuoso/ pintor/
Ainda que/ por morta/ seja denominada/ ou conhecida/
É demasiadamente... Linda! Estonteantemente/ Bela!

E por conta/ de tanto encantamento/ sugiro-lhe:
Contemplai /mas/ contemplai/mesmo/ sempre atento/ sem pressa
A obra/ ou pintura/ de um virtuoso/ artista/ plástico/
Pois / dela/ derrama-se/ generosamente/ o Belo/
Sempre disposto/ a fugir /do seu escondimento/
Para nos espantar / sem avareza/ de encantamentos!

Agora/ de mãos dadas/ com essas pistas/ elucidadoras/
Deixai /os olhos degustarem/ ávidos/ o Belo/ exposto/
E saboreai / famintos/ as frutas/ os legumes/ e tudo mais/
Que uma pintura/ / inspirada / em belezuras da Natureza/ viva/
 Possa / generosamente/ ofertar-nos de Belo/ do jeito/ único/
De expressá-lo/ no que diz respeito/ ao talento/ de seu / virtuoso/ Pintor!

Por fim/ inebriado de encantamentos/
Daí / graças à Vida/ e à Natureza/
Que / sem avareza/ a toda sorte de Artistas/
Generosas/ sempre / os inspiram/ constantemente!

RELMendes 30/05/2017


quarta-feira, 5 de julho de 2017

Busquemos sempre as coisas do Alto


-Se é pra se caminhar/hoje/ nesse lindo/amanhecer/
Que caminhemos / por entre girassóis/ dourados/
E como eles/ busquemos sempre a luz...

-Se é pra se voar / nesse agora/ do alvorecer/
Que voemos/ aos bandos/ como as andorinhas/
E como elas / brinquemos / a trinar/sempre/
Lá pelas bandas/ do mais alto/ dos céus azuis...

-Se é pra se inebriar/ após o crepúsculo/ se recolher/
Que inebremo-nos/ à exaustão / a contemplar / por horas/
O céu/em breu/ a pontilhar-se/ de estrelinhas / lampejantes/
E como essas estrelinhas/ que lampejemos/ de esperança/
O céu / de nossas vidas/ por vezes/ totalmente/ em breu/
Mas que anela sempre/ enfeitar-se / de luminosa/ esperança/
Que sinalizará/ trilhas/ que nos conduzirão/ à luz...

-Se é pra se orvalhar/ nas madrugadas/ friorentas/
Que nos orvalhemos/ de generosidade/ como quem/
Pelas madrugadas/ vai ao encontro/ de quem carece/de tudo:
Alimento/ Agasalho e/ sobretudo / de Acalanto/ de alguém/
Para que/ esse carente/ possa se lembrar/ de que/
A pesar de todos os pesares/ ele/ ainda é um ser/ humano...

-Pois creio/ piamente/ que quem socorre/ aos necessitados/
Quer durante o a luz do dia/ quer na calada da noite/ fria/
Já caminha/ a paços largos/ pelas estradas/ dessa VIDA/
Totalmente/ orvalhado/ da  Luz Celestial/ enfim!

Então/ orvalhemo-nos/ dessa generosidade/ pra sermos/ iluminados/
Também/por essa Luz/ que não se apaga/ Jamais!

RELMendes 05/07/2017